segunda-feira, 29 de julho de 2013



Já nos devolveram a estátua de D. José e meio Arco da Rua Augusta, já esta melhor!!!
Ficaram lindos, limpinhos... o tempo se encarregará de lhes devolver a "patine".





Aproveitando o "escurinho" e o movimento do princípio da noite!!!!




Podiam ter ficado melhores...  podiam,  mas não era a mesma coisa!!!
Depois de tanta distracção e tantos " azares",  ficou a boa disposição e a vontade de voltar e "refazer" tudo de novo? Alinhas? :)




domingo, 28 de julho de 2013



 O azul é o ponto mais quente no bico de bunsen. O azul cobre o céu e o mar e faz um manto sem fim. Às vezes até as noites são azuis...
Mas o verde cobre os campos, lagos, rios e regatos, também os olhos dos gatos...
O vermelho que pontua tudo é belo na graça da papoila, nos labios da mulher, no amor que aquece a alma.
E fico-me por aqui que para já só há cinzento.


Alfredo Ventura Sousa




sexta-feira, 26 de julho de 2013



Se o amor é para os parvos,
os parvos hão-de ser felizes. Falo-te assim
porque não me sinto sem culpa e sou o pai
dos filhos que fiz às próprias dúvidas.
Se o amor é para os parvos, irei ter com eles,
tocar-lhes o coração como quem lava as mãos e a alma, abraçá-los com os lábios, beijá-los
como sempre toquei as coisas simples: a abelha,
a espuma, a prata, o rosmaninho.

Se o amor é para os parvos, perante eles me dobro
como perante o vento se dobram as searas
e não sinto nas pálpebras o remorso
das noites que por amor passei em claro,
dos dias que por amor em mim deixei morrer
sem compreender mais nada: o rouxinol, a pedra,
o sol, a pétala, o verbo, o rio, o infinito.

Se o amor é para os parvos, sou parvo, sim, sou parvo,
um parvo profundo, obstinado parvo
cujo coração adormeceu diante da lareira do teu corpo,
alimentando-se da maior de todas as parvoíces:
o amor feito de fundas incertezas.

E são tantas!



Joaquim Pessoa



quinta-feira, 25 de julho de 2013




Negativos de  Alberto Korda,  um dos grandes fotografos da revolução cubana!

Neles aparece a foto mais conhecida e reproduzida de  Che  Guevara...

Hasta Siempre Comandante




Entre o viver e o sonhar
está o que mais importa:
despertar.


Antonio Machado








"Não importa o quanto às vezes seja difícil, o quanto às vezes
eu me atrapalhe, o quanto às vezes eu seja a densa nuvem que
esconde o meu próprio sol, quantas vezes seja preciso recomeçar:
combinei comigo não desistir de mim."

Ana Jácomo



quinta-feira, 18 de julho de 2013

Lisboa... que me encantas...



De Santa Apolónia a Braço de Prata... muito canto e recanto desvendado, um lanche, um café e um casamento!
Quem casou, não faço ideia mas a felicidade estava-lhes estampada no rosto... os carros eram lindos e apeteceu-me ser "penetra" na boda, só não fui por causa da fatia do bolo de noz que além de excelente era enorme ;)
Assim, caiu a noite e o regresso era preciso, com algum cansaço e muita preguiça.
Nos olhos levava a Mirante da Severa e na alma, o azul do rio... no coração, estava esta  Lisboa que se vai transformando todos os dias um bocadinho...!


quinta-feira, 4 de julho de 2013

Lisboa



 By Paulo Ferreira

Do Miradouro da Graça ao Miradouro da Senhora do Monte, passando por estrelas e gatos, por Vilas e outros recantos...
Lisboa vale a pena ser palmilhada, sempre!!! :)