segunda-feira, 9 de janeiro de 2012



Ver-te é como ter à minha frente todo o tempo
é tudo serem para mim estradas largas
estradas onde passa o sol poente
é o tempo parar e eu próprio duvidar mas sem pensar
se o tempo existe se existiu alguma vez
e nem mesmo meço a devastação do meu passado


Ruy Belo

2 comentários:

tulipa disse...

Olá Teresa

LINDO

Tenho um fascínio especial por faróis!!!

Adorei este.
Obrigada pela partilha.

Gostei e registei:
..."é o tempo parar
e eu próprio duvidar mas sem pensar
se o tempo existe
se existiu alguma vez..."

Ainda não foste espreitar o meu novo blog...
aguardo uma opinião tua.
Beijos da Ester

Teresa disse...

Olá Ester
Já lá passarinhei, só não deixei comentários, sou terrível a fazê-lo, vou vendo e... perco-me ;)
Gostei, depois volto lá e comento :)

Beijinho