sexta-feira, 27 de março de 2009


PROCURAR

Procuro-TE...
Pela manhã
Quando o Sol espalha gotas de luz
No calor...
Pela tarde
Quando a brisa do vento
Sopra suavemente
O tempo que voa...
Procuro-TE pela noite
Quando as estrelas
Brilham alto
E procuram fixar o infinito!
Procuro-TE agora,
Procurar-TE-hei amanhã,
Procuro-TE porque é preciso!
Quando sinto a vida fugir-ME
Por entre os dedos...


Quando o dia escurece
E EU fico sozinho
EU procuro-TE!
Antes que seja tarde demais,
Antes que o rio seque
E a chuva pare de cair,
Antes que as nuvens desapareçam
De diante deste meu olhar cansado
Para que o Sol da TUA mão
ME faça descansar
Procuro-TE...
E a vida acalma
E EU posso então viver
E correr
Sem pressa de chegar.

Ana M Tavares

4 comentários:

Jana disse...

Bonito pormenor. O poema é espectacular. Cada um de nós já passou por uma fase em que o quis dizer ou o sentiu. Bjs

Teresa disse...

Ou as duas coisas juntas!!!!
Beijinhos.

Anónimo disse...

Um malmequer povoado por um predador em busca de alimento e um poema que dá que pensar. Ambos muito bonitos.

Teresa disse...

Seria eu a escrevê-lo se, para além de o sentir, para tal tivesse engenho e arte!!!
Obrigada pela visita.